terça-feira, 5 de maio de 2020



 


Situado no Mundo 2, o do deserto, o oasis secreto de Super Mario Bros III pode ser encontrado depois de vencermos os Boomerange Brothers que deambulam pelo mapa-mundo. 

Estes deixaram ficar para trás uma Music Box e um Hammer. 

A primeira não é relevante para a descoberta do Oasis, uma vez que o seu único propósito é o de adormecer os  Hammer Brothers que possam patrulhar o mapa-mundo, mas o Hammer, esse sim, é importante. 

Ele dá ao jogador a possibilidade de quebrar as muitas pedras que se encontram no mapa. 

Se usarmos o Hammer na rocha situada junto à moeda situada à direita do quarto nível, esta irá revelar um novo caminho que nos irá conduzir ao dito oasis. 

Este local tem uma casa Toad extra e Fire Bros para defrontar. 

A vitória sobre esta sub-espécie de Hammer Bros irá permitir a obtenção de um Magic Whistle, que uma vez usado permite ao jogador escolher o mundo em que quer jogar sem uma ordem específica. 



Posted on terça-feira, maio 05, 2020 by Ivo Silva

No comments

terça-feira, 28 de abril de 2020



O Sinister Syndicate é um grupo de supervilões mercenários que trabalha para quem lhes pagar mais. Criados por Tom DeFalco, Ron Frenz e Brett Breeding, o Syndicate fez a sua estreia nas páginas de Amazing Spider-Man #280, Vol 1, em 1986. 

Os seus membros originais são: O Beetle (Abner Jenkins), que normalmente assume o manto da liderança, Rhino, Boomerang, Speed Demon e Hydro-Man. 
A sua primeira missão era muito simples. Eliminar a caçadora de nazis, Silver Sable. 

O plano falha, devido à intervenção do Spider-Man, que se tornaria no seu rival mais frequente (até porque todos os membros do Syndicate faziam parte da galeria de vilões do aranhiço antes mesmo deste encontro). 


 


A segunda aparição do grupo trará dois novos membros na figura de Leila Davis, a mulher do falecido vilão Ringer, que culpava o Beetle pela morte do marido e infiltra-se no grupo para o eliminar e um velho conhecido do Spider-Man, o electrizante Shocker, que na altura passava por uma severa crise de confiança. 


 


A trabalhar directamente para o Kingpin, o Sinister Syndicate vai implodir, devido aos planos de vingança de Leila e à vontade do Boomerang em assumir a liderança. 

Duas facções vão enfrentar-se nas ruas de Nova Iorque. 

De um lado, o Beetle, o Speed Demon e o Hydro-Man e do outro, o Boomerang, o Rhino e a Leila (com o equipamento do Ringer). 

O Shocker já havia deixado o grupo há muito após um encontro imediato com um dos Scourge of the Underworld. 

Uma vez mais, e graças à intervenção do Spidey, grande parte dos vilões vai ser capturada. 

O grupo original trabalhou brevemente com outros vilões contra os New Warriors e o Spider-Man.

Uma nova versão do Syndicate iria emergir pouco depois, com Leila a assumir a identidade de Hardshell (e uma espécie de armadura escarlate ao estilo da do Iron Man), e com uma equipa que incluia o Rhino, o Vulture e o Boomerang. 

Desta vez, o grupo não tem apenas que se degladiar com Spider-Man, mas com outros vilões, nomeadamente: Stegron e o Beettle. 
O Syndicate regressará uma última vez, a meio gás  (só como Hydro-Man, Speed Demon e Shocker), para enfrentar, sem sucesso, o Spider-Man, Komodo e o War Machine, durante o período da Avengers Initiative.


 

Com a passagem de Abner para o lado dos anjos, Boomerang finalmente assume o controlo do grupo, recrutando o Shocker, o Speed Demon, o Overdrive e a Beetle VI. 

Contudo, e apesar da proposta do nome Syndicate, Boomerang vai adoptar o nome de Sinister Six (se bem que com menos um), tendo um encontro quase letal com o Superior Spider-Man (Doctor Octopus).


 


Uma nova versão do Sinister Syndicate finalmente emergiu em 2019, com uma formação totalmente feminina. 

O grupo inclui apenas um regresso na figura da Beetle VI.

Lady Octopus, Electro II, White Rabbit e Scorpia constituem as novas integrantes do conjunto. 
Leituras Essenciais:
Amazing Spider-Man #280-281, Vol 1, de 1986 - Primeira aparição do grupo e primeiro embate com o Spider-Man.
The Deadly Foes of Spider-Man #1-4, Vol 1, de 1991 -  Guerra Civil dentro do Syndicate, com Spidey metido ao barulho.
The Lethal Foes of Spider-Man #1-4, Vol 1, de 1993 - Continuação directa dos eventos de Deadly, com os Sinister a estarem agora sob a liderança de Leila Davis.
Avengers : The Initiative #3, Vol 1, de 2007 - A derradeira aparição do grupo.



Posted on terça-feira, abril 28, 2020 by Ivo Silva

No comments

terça-feira, 21 de abril de 2020



 


O Yeti recluso que vive nas profundezas das minas de Narshe, fez a sua estreia no fabuloso Final Fantasy VI lançado em 1994 para a SNES.




Apenas recrutável na segunda parte do jogo, o World of Ruin, Umaro é bastante limitado no que à fala diz respeito e é incapaz de conjurar ataques mágicos como as restantes personagens, mas compensa tudo isso sendo um verdadeiro tanque do ponte de vista físico. 

De longe a personagem da party mais forte fisicamente, Umaro é um Berserker que apenas segue as ordens do diminuto Mog.
Surgindo como boss na chamada Yeti's Cave, Umaro é recrutável após a vitória da party sobre ele, mas apenas se Mog estiver presente na mesma durante o decurso do referido conflito. 

Houve planos para o usar como inimigo na primeira parte do jogo, o World of Balance, mas não passaram disso mesmo.


 

Após esta sua aparição em Final Fantasy VI, Umaro surgiria como personagem jogável em dois spin-offs da série original, assim como na forma de carta para ser usada em trading card games do Final Fantasy como Triple Triad ou FF Trading Card Game.

Ocasionalmente, também assumiria o papel de summon, como de resto pode ser observado em Final Fantasy Airborne Brigade de 2012.
Para além destas suas presenças em jogos menores da série e em inúmeros ports de FFVI, Umaro é ainda uma das muitas personagens de FFVI que pode ser vista na multidão que assiste à luta dos gladiadores de Antiqua, noutro jogo da Square, Secret of Evermore. 


 

Posted on terça-feira, abril 21, 2020 by Ivo Silva

No comments

terça-feira, 14 de abril de 2020

Com a sua bateria destruída por uma força alienígena desconhecida e com pouco mais de 14 horas de bateria restante no seu anel energético, Hal Jordan decide tentar descobrir a razão por detrás do sucedido. 

A busca conduz o nosso herói espacial a um pequeno planetóide nas margens do Sector 2814, onde Hal descobre que foi um alienígena de nome Priest, o responsável pela destruição da bateria. 

Este não o fez por malícia, uma vez que apenas procurava contactar o Green Lantern de forma a que este o auxilia-se no término de uma longa guerra galáctica.
 
Hal aceita ajudar Priest e não tarda a deparar-se com uma nave alien inimiga que o ataca. Hal vence a oposição e ao fazê-lo logra em restaurar alguma energia ao seu anel. Tal encontro será revelado como sendo um teste levado a cabo pelo enigmático Priest.
 
Com uma demonstração de força numa conferência de paz entre as duas facções, Hal consegue colocar um ponto final no conflito...pelo menos temporariamente (na verdade, ambas as facções decidem deixar as suas diferenças de parte para construir uma arma com a qual possam matar o Green Lantern).
Após esta fraca demonstração de diplomacia, Hal consegue regressar à Terra. Faz-lo mesmo a tempo de resgatar uma estranha nave que estava em rota de colisão com a superfície do planeta. 

Hal encontra um alien desconhecido, e aparentemente inofensivo, no seu interior. Determinando que o mesmo não é uma ameaça, Hal deixa-o em paz e segue com a sua vida.




Ledo engano. O alien, denomindado Visitor, não só se torna violento após assimilar a violência terrestre que vê via TV, como também assume forma humana. 

Ao destruir um Drive-In, o Visitor chama a atenção do herói governamental Captain Atom. 

O herói tenta parar o Visitor, que curiosamente apenas desejava encontrar a matéria-prima necessária para reparar a sua nave e dessa forma partir. 

Contudo, o alienígena revela-se demasiado poderoso, mesmo para as energias atómicas do Captain Atom. 

Éis que Hal regressa e tenta uma infrutífera resolução pacífica.


 

Hal e o Captain Atom acabam por forjar uma breve aliança como forma de encontrar o Visitor, que entretanto já havia fugido novamente. 

Contudo, os objectivos de ambos os heróis não poderiam ser mais distintos. 

Captain Atom pretendia eliminar o Visitor, por ver neste uma ameaça para a Humanidade, enquanto que Hal só queria ajudar o alien a voltar para as estrelas.


 

Quando os dois finalmente encontram o Visitor, Captain Atom consegue vencer o alien. Todavia, e quando se preparava para eliminar o mesmo, é impedido pelo Green Lantern. 

Como resultado, ambos os heróis engalfiam-se numa curta, mas brutal batalha, que se arrasta do cenário citadino de Los Angeles para o deserto arenoso de Nevada. 

Aqui, Hal tenta colocar um ponto final na batalha através de um potente golpe energético...mas falha e com estrondo.


 

O Captain Atom vence, deixando o exausto Hal no deserto, enquanto retoma a perseguição pelo Visitor. 

Felizmente, e para bem de Hal, que estava totalmente sem energia no anel, o Captain regressa, após descobrir que o Visitor já havia partido para o espaço.
O Captain traz Hal de regresso a Los Angeles, onde Hal recarrega o anel. 

Os dois heróis despedem-se em termos mais ou menos amigáveis, com Hal a partir de seguida para o espaço numa perseguição frenética ao Visitor que o levará a encontrar-se com um poderoso Green Lantern renegado...*
Todo este arco tem lugar nas páginas de Action Comics #623-630, corria o agora distante ano de 1988.



*Nota: Para esta história é favor de darem uma espreitadela em Grandes Momentos DC #35.  



Posted on terça-feira, abril 14, 2020 by Ivo Silva

No comments

quinta-feira, 9 de abril de 2020





Publicado para a NES em 1990, Arkista's Ring é um jogo de acção e aventura desenvolvido pela American Sammy. Um título que tira muita inspiração de contemporâneos seus da época, nomeadamente Zelda, pela apresentação, e Gain Ground, pelo estilo de gameplay adoptado.

Em Arkista's Ring o jogador assume o controlo da jovem arqueira élfica de cabelo esmeralda, Christine, enquanto ela tenta recuperar uma poderosa relícia mística do seu povo. É precisamente esse objecto que dá o nome a este jogo. 

O anel em questão foi usurpado por um vilão sinistro, de nome Shogun, que pretende usar o seu poder para envolver o reino élfico nas trevas eternas.


 


Cabe então à nossa heroína a árdua e solitária tarefa de viajar pelo reino e enfrentar os mais variados adversários, até ao showdown final com Shogun.

E já que falamos de inimigos, estes são bastante variados, não fugindo no entanto aquilo que normalmente podemos encontrar em jogos dentro desta temática mais fantasiosa e mágica.

Temos morcegos, demónios, zombies, lesmas, blobs, vampiros, esqueletos e ninjas, entre muitos outros. Alguns deles têm certas particularidades, nomeadamente os ninjas, que são super rápidos, e os esqueletos, que volta e meia voltam a reerguer-se à la Dry Bones (que fizeram a sua estréia no saudoso Super Mario Bros 3). 

Como não poderia deixar de ser temos bosses para defrontar. Um deles é um temível dragão que, seguindo a trend de muitos jogos da época, voltará a cruzar-se com a nossa personagem na categoria daquilo que gosto de chamar de bosses despromovidos.


 


Para conseguir lidar com esta panóplia de adversários, Christine conta inicialmente com o seu fiel arco e flechas. Felizmente, isso depressa mudará graças aos inúmeros upgrades que podem ser encontrados nos níveis. 

Estes upgrades irão aumentar drasticamente a eficácia das nossas armas, o que é essencial para conseguirmos avançar no jogo. Alguns desses itens de ataques são: o Ceptro de Fogo, cujas rajadas passam através das paredes, o Tridente e a Estrela Cajado, que aniquilam os adversários totalmente, entre outros. 

Para além destes itens de ataque, Christine pode ainda usar itens de cura e protecção, representados por capas, elmos e armaduras de diferentes cores. A variação na pigmentação simboliza a potência dos mesmos, sendo o dourado a cor mais forte. 

Este género de objectos servem para regenerar corações (aqui a barra de energia da nossa personagem) e darem-nos um muito necessário escudo contra os ataques inimigos. 

Existem ainda cruxifixos espalhados nos níveis que restauram a protecção à nossa heroína.


 


 Contudo, a capacidade de armazenamento de Christine no início do jogo não é muita. Ela dispõe de apenas quatro slots para guardar equipamento. 

O número de corações dados e as vidas já são mais generosos, com 5 e 2 unidades respectivamente.

Arkista´s Ring tem ainda continues infinitos que nos colocam no nível no qual perdemos, mantendo o dano causado nos inimigos (mesmo os bosses), mas sem os upgrades.

Vamos agora falar acerca do objectivo de cada nível. Nos seus 32 níveis Christine deve reunir chaves, que surgem após a mesma aniquilar um determinado número de oponentes. 

Com elas, a elfa abre a porta que conduz ao nível seguinte. Nos níveis mais avançados, a dificuldade aumenta com o aparecimento de bosses  para bater e portas falsas, assim como uma variedade de armadilhas com as quais o jogador deve ter cautela. 

Com um design muito dungeon like, os níveis de Arkista´s Ring alternam entre florestas, montanhas, castelos e catacumbas, não sendo muito longos e não tendo qualquer tipo de tempo limite.


 


Este último aspecto é bastante benéfico para o jogador, uma vez que a personagem principal não é muito rápida a mover-se. Na verdade, manter a distância, sobretudo de inimigos rápidos ou com padrões de ataque aleatórios, é essencial para sermos bem sucedidos na nossa demanda.

Os gráficos e a música de Arkista's Ring são rudimentares, mas agradáveis. O jogo também tem algum replay value para aqueles que apreciarem desafios, na figura de uma segunda quest na qual os adversários são mais velozes.

Um jogo que consegue ser viciante e que já merecia um lançamento na Virtual Console ou quiçã um remake mais actual.






Posted on quinta-feira, abril 09, 2020 by Ivo Silva

No comments

quinta-feira, 2 de abril de 2020







 O Hulk que nos é apresentado em 1989 é bastante diferente daquele que vemos nos dias de hoje. 

Cinzento e inteligente, este Hulk dá-se pelo nome de Joe Fixit e serve como bouncer num casino de Las Vegas. 

Surgindo apenas à noite, este é um Hulk mais fraco fisicamente do que a sua contraparte esverdeada. 

A Bruce Banner restam os dias, os quais o cientista tenta usufruir ao máximo sem contudo fazer grandes alaridos.
Todavia, e o que ele não sabe é que a sua cabeça está agora a prémio. Um novo vilão, chamado Madman quer vingança contra o cientista por este lhe ter roubado algo que considerava ser seu por direito, o poder do Hulk. 

Madman usa um amigo próximo de Bruce, um tal de Dr Phil, para conseguir injectar Banner com um virus mortal até mesmo para a fisionomia do Hulk. 

O virus certamente mataria Banner antes da chegada da noite lhe permitir mudar-se para a forma do Hulk. 

Felizmente, um ataque ao laboratório onde Bruce trabalhava como faxineiro (e sob a identidade de Bruce Bancroft), por parte do Abomination evita tal destino. 


 


O Abomination reconhece Bruce e atira-o para uma máquina  gama, forçando a transformação do último no Hulk (mesmo a tempo, uma vez que o virus tinha acabado de dar sinais de vida). 

O Abomination, cuja força sempre fora ligeiramente superior à do Hulk verde, depara-se agora com um Hulk cinzento, menor e bastante mais fraco. 

Usando a astúcia, o Hulk tenta escapar do complexo, no entanto sente o seu coração ceder de forma inexplicável. Ainda mais fraco do que o habitual, o golias cinza não consegue fazer nada contra o vilão, que o coloca num lock (um movimento típico do wrestling). 

Uma vez mais, o Hulk usa os miolos e consegue libertar-se do Abomination, projectando-o na direcção de lixo radiactivo potente o suficiente para o parar (e o deixar em muito mau estado).
Para tentar resolver a sua situação, em termos de saúde, o Hulk decide rumar a Phoenix, onde Reed Richards, a.k.a Mister Fantastic, está a dar uma palestra.

Contudo, a forma pouco discreta com que o golias cinzento entra no prédio é interpretada como um ataque pelos restantes membros dos Fantastic Four (menos o Human Torch, que não estava presente).


 

O Hulk não tarde a ver-se numa luta indesejada com a Sharon Ventura, a.k.a Ms Marvel (a.k.a She-Thing). Banner pensa que está a lutar com o seu velho rival, Ben Grimm, transformado em mulher. 

A Ms Marvel, desejosa por vingar a honra do Thing (derrotado pelo Hulk em Nova Iorque, meses antes*) parece ter a vantagem no confronto, contudo depressa tudo muda.
 
Ao aperceber-se de que não está a lutar com Grimm, o golias cinzento rapidamente derruba a sua oponente. Não fosse um novo ataque cardíaco e o Hulk teria vencido a contenda. Todavia, a doença enfraquece-o o suficiente para um soco na noca, por parte da Ms Marvel, o derrubar.
Richards leva o Hulk para um hospital local, onde lhe faz extensivos exames que vêem revelar uma dura realidade. O vírus no corpo do Hulk é mortal. O nosso herói tem pouco tempo de vida.


 

Desesperado, o Hulk abandona Phoenix e regressa a Las Vegas, onde interroga um aprisionado Abomination, numa tentativa bem sucedida de saber o nome do seu mandante. 

Esse mandante é apenas o maior inimigo do Hulk, o super inteligente Leader.
Ironicamente, é o próprio Leader quem teleporta o Hulk para a sua base, forçando-o a lutar com os seus seguidores, a chamada Riot Squad, na sua maioria também eles indíviduos alterados pela radiação gama. 

 Os vilões Rock e o Redeemer a surgem numa primeira investida, mas o Hulk desinvincilha-se rapidamente de ambos (ele soterra este último debaixo dos escombros de um edifício). 

Seguem-se Hotshot e Jailbait, os quais também falham em conter o enfraquecido herói. 

Por último, surge a Ogress, uma versão desfigurada da She-Hulk, que consegue finalmente derrubá-lo. 

A luta apenas termina com a chegada do Leader ao local. Este procede a explicar que o responsável pelo envenenamento do Hulk é um novo vilão de nome Madman. 


 


O Leader não se fica por aqui e informa o herói que o Madman não só sofre de dupla-personalidade, como é também o seu irmão, Phil Stern (o mesmo Dr Phil do início). 

Consciente do perigo representado pelo irmão, mas incapaz de o matar, o Leader resolveu salvar o Hulk (ainda que temporariamente), de forma a usá-lo como arma contra o mesmo.
Em troca da ajuda do Hulk, que encontrará a cura para o virus com o Madman, o Leader compromete-se a revelar o paradeiro de Betty Ross ao golias cinzento. 

É um Hulk que parece mais uma carcaça sem vida aquele que aceita a proposta, sendo transportado para o covil de Phil, onde descobre que o cientista sempre teve inveja de Bruce.

Quando Banner se transformou no Hulk, Phil acreditou que este lhe estava a usurpar um poder que deveria ter sido seu, pelo que tenta duplicar a exposição acidental, dando origem ao psicótico Madman.


 

Um furioso Madman massacra sem dó, nem piedade o Hulk que apenas é salvo quando a personalidade mais piedosa de Phil vem ao de cima. 

Contudo, tal é sol de pouca dura, uma vez que a mente de Madman regressa e efectivamente "mata" a de Phil, retomando o ataque ao Hulk. 

Aproveitando um momento de distracção do vilão, o Hulk consegue infectá-lo com o mesmo virusb que o está a afligir. A luta passa então a ser pelo antídoto. 

Uma luta desesperada que termina com ambos a arrastarem-se pelo chão rumo ao precioso soro, com o Hulk a triunfar no instante final.

Curando-se, o Hulk (entretanto revertido à forma de Banner) abandona as instalações, deixando Madman entregue ao seu destino. (Incredible Hulk #364-367, Vol 1, de 1989/90)



*Nota: Ver Grandes Momentos Marvel #33 para rever esta fantástica luta entre ambos.




Posted on quinta-feira, abril 02, 2020 by Ivo Silva

No comments

terça-feira, 2 de julho de 2019



 


Proveniente da cidade alemã de Hanôver, a wrestler que se tornaria conhecida como  Black Widow iria fazer a sua estreia e até ao momento única aparição num jogo de luta em Ring of Destruction: Slam Master 2, corria o ano de 1994. 

Inspirada numa wrestler nipónica bem real, uma tal de Mariko Yoshida, a Black Widow levava ao extremo o motif aracnídeo da japonesa. 


 

Com um uniforme azul escuro, escarlate e branco, que lhe ocultava a identidade enquanto wrestler feminina, a muscular, mas flexível Black Widow vai conseguir entrar na CWA, uma promoção somente aberta a wrestlers masculinos. 


 


Uma oponente temível, com um ataque especial devastador, o Frankensteiner, a alemã já havia batido a grande campeã feminina de wrestling da Capcom, a Yoko Harmageddon, colocando mesmo um ponto final na carreira da japonesa que se tornaria manager e promotora de all female IJWPW (da qual a nossa conhecida Rainbow Mika faz parte). 


 


Única lutadora feminina na série Slam Master, a Black Widow apenas revela a sua natureza feminina no fim, ao bom e velho estilo de Samus Aran, a bounty hunter da Nintendo. 
Caindo na obscuridade após 1994, a Black Widow apenas recebe uma mera menção no Street Fighter 3, como tendo sido uma das opositoras do gigantesco Hugo no seu percurso até ao final do jogo. 





Posted on terça-feira, julho 02, 2019 by Ivo Silva

No comments